Jornal Folha de São Paulo, 30 de setembro de 2012

O número de leitos do SUS (Sistema Único de Saúde) disponíveis em hospitais privados no país caiu quase 40% entre 2005 e 2012, de acordo com análise da Anahp (Associação Nacional dos Hospitais Privados). Os leitos não incluídos no sistema, por outro lado, cresceram cerca de 2%.

“Alguns hospitais fecharam as portas por má gestão mesmo, mas outros, como as Santas Casas do interior do país, não conseguiram sobreviver dos valores pagos pelo Sistema Único de Saúde”, afirma Francisco Balestrin, presidente da entidade. Houve também, segundo o executivo, uma transição crescente dos leitos que ficavam à disposição do SUS para o atendimento da medicina privada.

Enquanto o valor médio por internações no setor privado é de R$ 4.979, no sistema, não ultrapassa R$ 1.100. “Muitos hospitais tiram leitos do SUS e fazem uma migração para o atendimento aos planos de saúde. O governo deveria investir mais para evitar isso”, afirma.

Com a expansão da classe C, a demanda por planos de saúde, antes inacessíveis, avançou, com a evolução da oferta de produtos mais baratos, que podem apresentar dificuldade de atendimento e baixas coberturas, de acordo com a entidade. “Apesar de comprometer significativamente uma parte da renda familiar, em muitos casos, no entanto, essa parcela da população acaba tendo de recorrer ao SUS”, segundo a entidade.

numero de leitos